sexta-feira, 1 de junho de 2012

27. Capítulo


( Rose )
No dia seguinte, eu e o Harry fomos dar uma volta por esta linda cidade que tanto me fascinava. Cada vez, estava mais feliz com o facto de ter vindo para aqui e com o facto de ter conhecido o Harry. Umas das melhores escolhas que fiz em toda a minha vida. 


( Harry ): Anne! - disse, abraçando uma rapariga que não conhecia. - Não acredito que és mesmo tu. - ele parecia fascinado com a rapariga. - Rose, esta é a Anne. Uma colega antiga. - disse, com um enorme sorriso. A Anne disse-me um olá, ao qual eu retribuí. - Não posso crer que te estou a ver novamente. Olha como tu estás! Ainda namoras com o Paul ? - ele parecia uma daquelas senhoras idosas que nos perguntam por tudo e mais alguma coisa. - Ah, esta é a Rose, uma amiga minha. - o meu mundo foi-se abaixo quando ele me apresentou como uma amiga sua. Estaria a gozar com a minha cara ? Se calhar nem passava de um pequeno brinquedo para ele. Fui-me  embora. Ignorei os dois. Ainda não acredito que ele me apresentou com uma mera amiga. Que eu saiba namoramos. Fui para casa e fechei-me no meu quarto. As lágrimas teimavam em sair até que adormeci. Quando acordei já era quase hora do lanche. Fui ao telemóvel, quando vi que o Harry me tinha ligado três vezes e tinha deixado duas mensagens de voice-mail.


« Então, amor? Que aconteceu para saíres dessa maneira de ao pé de mim e da Anne ? Nem me atendes as chamadas. »


« Estas a assustar-me, Rose. Fiz alguma coisa de errado ? Sabes que te amo muito. ». Após ouvir as mensagens, atirei o telemóvel para o chão, devido à raiva que se apoderava de mim. Ainda tinha a lata de me chamar amor e dizer que me ama muito, quando me apresenta a uma antiga colega dele como uma amiga insignificante. Não podia estar pior. Várias sensaçãoes apoderavam-se de mim. Sentia-me tão mal. Não comi o resto do dia. Os outros, pelo que me explicou a Lisa, iriam ficar no apartamento do Liam esta noite. Menos uma preocupação, não queria que me vissem assim. Fui para a sala ver um pouco de televisão, quando alguém toca à campainha. Ia abrir, mas de repente ouço a voz do Harry. 


( Harry ): Rose, amor ? Eu sei que não foste com os outros. O que se passa? Porque não falas comigo ? - sentei-me novamente no sofá. Não queria falar com ele depois de hoje. Não lhe queria olhar para a cara.
                                                                    ***** 
Passou-se um dia. Os outros continuavam no apartamente do Liam, ou seja, ainda estou sozinha. Peguei no telemóvel e tinha 11 chamadas não atendidas do Harry. Nem me dei ao trabalho de lhe ligar de volta. Estava fraca, não comia nada desde ontem. Quando ia a cozinha buscar qualquer coisa para comer, sinto-me a cair, dando uma leve pancada na cabeça. Tinha desmaiado.


( Marge )


Regressámos do apartamento do Liam, quando nós, as raparigas, vimos o Harry a dormir à porta da casa da Rose. O que é que se teria passado ?


( Marge ): Harry! - disse, empurrando-o para ele acordar. - Estas a ouvir-me? 


( Allie ): O que raios estará  ele aqui a fazer?  E a Rose? 


( Harry ): Ah ... o quê? - disse, a acordar. - Já é de manhã?! - perguntou mais desperto.


( Lisa ): Sim, é! Mas tu passaste cá a noite? Passou-se algo entre ti e a Rose? - ele levantou-se e ajeitou o cabelo. - Então, não respondes?


( Harry ): Isso é o que eu queria saber. Não me atende às chamadas desde ontem, estou preocupado.


( Marge ): Vamos já falar com ela. - disse, enquanto enfiava a chave na fechadura. - Rose! - disse, indo a correr até ela. Ela estava estendida no chão, provavelmente inconsciente. - Precisa de ir para o hospital, depressa! - só vi o Harry muito preocupado a pegar no telemóvel e a ligar para nos trazerem uma ambulância. 

4 comentários:

  1. ADORO! Adoro as tuas fic, por isso é normal adorar este capitulo :p

    ResponderEliminar
  2. AMOOOO!!!!!!! Fico a espera do next!!! ;)

    ResponderEliminar
  3. Adorei!
    Vai ao meu blogue, tenho uma surpresa para ti :)

    ResponderEliminar